sexta-feira, 19 de abril de 2013

Let It Be

31º Capítulo


[Justin olhou-os com a maior cara de taxo e disse: Opa, a conexão voltou.Comecei a rir e ele bagunçou meu cabelo discretamente para que eu ficasse quieta, mas continuei rindo com a cara no travesseiro.] 

Ele segurou a risada e começou a conversar com o cara sobre a turnê. Disse que voltaria ainda hoje para o ônibus e rumo a sei lá onde, não prestei atenção no que ele disse porque ainda estava rindo.
Era ainda mais engraçado, porque ele tentava disfarçar a vontade de rir, tapando a boca a todo momento. A mania que ele tem de rir na frente dos outros com a mão tapando o lindo sorriso.
Quando me recuperei do ataque de risos, ele estava se despedindo dos entrevistadores e pediram para que eu aparecesse. Dei um sorriso ao lado dele, apoiando com um dos braços em seu ombro. Ele abaixou a tela do note e disse rindo: Você achou tudo isso muito engraçado, não foi (Seu nome)?
Ri e assenti recuperando a respiração: Ai para. Agora que eu consegui me recuperar do ataque de risos, minha barriga dói.
Ele relou os dedos sob minhas pernas, causando-me arrepios e disse: Se é pra rir, vamos lá.
Ele começou a me fazer cócegas pelo corpo todo. Infelizmente esse é um dos meus pontos fracos. Voltei a rir me encolhendo na cama enquanto falava: Para Justin. Para.
Justin parou por míseros segundos e olhou-me nos olhos. Sorri e disse acariciando seu rosto: Chega, por favor. Cansei de tanto rir.
Estiquei uma das mãos até o controle e apaguei as luzes, desligando o ar. 
Ele assentiu e deu-me um beijo no rosto. Abracei-o forte e senti que ele tentou roçar minha intimidade na sua. Beijei-o e disse: Olha. Vai com calma ai amor.
Ele riu e disse com um olhar suspeito: Mas eu ainda não fiz nada.
Falei fitando seus lábios: Ainda?
Ele fez que sim com a cabeça e disse: Tira a minha blusa. Gosto de analizar seu corpo.
Tirei-a, colocando o cabelo para trás e falei: Analizar?
Ele disse: Sim. Eu gosto de te observar.
Falei: Então se eu tirei uma peça da roupa, faça o mesmo.
Ele olhou-me surpreso e disse: Então é assim?
Falei: É.
Ele tirou a calça e disse entre beijos: Sua vez.
Neguei com a cabeça e falei: Não há necessidade.
Ele disse: Tudo bem. Eu faço isso pra você.
Nos beijamos e ele sussurrou em meu ouvido: Se eu pudesse, ficaria aqui com você para sempre.
Falei: E por quê não pode? Podemos tornar esse momento, o nosso para sempre.
Ele disse: Mas é muito pouco.
Dei os ombros e disse: Não pense no tempo.
Ele concordou e beijou a ponta de meus lábios de leve, como se quisesse algo em troca. Puxei-o para um beijo quente, fazendo com que ele soltasse as mãos sob meu corpo, Justin me tocava como se eu fosse uma boneca de porcelana, parecia que tinha medo de me machucar. Falei olhando pra ele: Não sou feita de porcelana para você tomar tanto cuidado assim.
Ele riu e disse: Sei disso.
Nos sentamos um de frente para o outro na cama, ele apoiou com uma das mãos em minhas costas, impedindo que eu me deitasse e com a outra pôs meu cabelo para trás dos ombros, mordiscando meu pescoço, passando a língua de leve no mesmo.
Se isso era uma tática, de certa forma era provocante. Em questão de segundos, esvaziei completamente minha mente. 
Ele deu um sorriso de lado, e disse abaixando o tom de voz: Não combina comigo esse jeito calmo, em uma hora como essas.
Falei: Hora como essas?
Ele assentiu e disse: Olhe como você está. Desde que cheguei aqui, só te vi semi-nua. Faz ideia do quanto isso é excitante pra mim? Acabei de descobrir que...
Ergui uma das sobrancelhas e gesticulei: Que?... 
Ele balançou a cabeça e disse: Esquece. Pensamento de garotos, ficaria meio estranho te dizer isso.
Concordei e não respondi. Ele puxou-me pelas pernas ainda sentado de frente pra mim, fazendo com que eu colocasse minhas pernas por cima das suas, abrindo-as uma de para cada lado.
Falei encarando-o: Onde quer chegar?
Ele disse aproximado-se: Até onde eu puder.
Falei tentando provocá-lo: Desde quando te proibi de algo?
Ele disse quase me beijando: Estou gostando disso.
Falei: Mas ainda não fizemos nada.
Ele sorriu e disse: Olha, não fale isso.
Falei: É mentira?
Ele me agarrou com força, levando-me até seu colo enquanto nos beijávamos com um desejo explicito a qualquer um. Sentia sua respiração acelerada, pulsando em seus pulsos e seu peitoral.
Coloquei os braços em volta de sua cabeça, puxando seu cabelo e descendo uma das mãos até sua nuca. Ele abriu meu sutiã ainda com os olhos fechados, enquanto nos beijávamos. Tirou-o com delicadeza e deixou ao lado. Colou seu corpo no meu e rapidamente deitou-me na cama. Olhou para os meus seios na maior cara de pau. Preferi não comentar e ele apertou os dois ao mesmo tempo, fazendo movimentos circulares com as mãos, causando-me uma dor prazerável.
Respirei fundo forçando os olhos para não abrí-los e senti sua língua percorrendo minha auréola, em seguida mordiscando o bico. Apertei o travesseiro com toda a minha força para continuar calada e rapidamente beijou-me nos lábios.
Seu beijo estava mais envolvente que o normal, ele me fazia sentir algo inexplicável. Uma sensação de desejo, felicidade, prazer, ansiedade, tudo ao mesmo sem nenhuma dificuldade. E se a intenção dele era me deixar em êxtase, ele conseguiu.
Ele sussurrou em meu ouvido um ''psiu'' e rapidamente abri os olhos. Ele sorriu e voltou a me beijar. Meu coração palpitava loucamente cada vez que ele descia uma das mãos até meu quadril. Seu toque era uma espécia de choque, deixando-me arrepiada trazendo a sensação ainda mais forte da ansiedade. Se é que era isso que eu estava sentindo, nem eu sei direito, só sei que eu sentia algo forte.
Eu tentava de alguma maneira amenizar essa sensação, beijei-o ainda com mais vontade para ver se essa palpitação acelerava ainda mais ou permanecia assim, não estável. Nada mudou. Apenas o desejo que continuava. Percebi que ele deveria estar pensando o mesmo que eu, olhava-me a cada dois minutos sem dizer nada, apenas observando. Gosto de ir com calma, para não parecer que é isso que viemos fazer aqui e pronto.
Olhei pra ele, que permaneceu parado por segundos e ainda sem tirar os olhos dos meus, foi tirando minha lingerie devagar. Dei um leve sorriso de lado e ele correspondeu.
Pegou a calcinha na mão e mostrou-me ao dar um sorriso safado, e ao mesmo tempo vitorioso. Ri e não disse nada. Olhei-o de cima a baixo, na esperança de que ele entendesse o recado. Justin deitou-se ao meu lado, e virou de costas para mim. Tirei sua cueca e mordi seu ombro e disse: O que está fazendo?
Ele disse olhando pra mim: É sempre bom se preservar.
Sorri e assenti. Ele deu-me um beijo e disse mordiscando minha orelha: Coloca ai.
Dei uma risada sarcástica e disse: Nem vem.
Ele arregalou os olhos e mordeu meu lábio, puxando-o para um beijo longo e discretamente ele mesmo colocou-a.
Coloquei uma das pernas por cima da sua, ele me beijou com toda força e senti a forte pressão e dor de seu membro em minha parte íntima. Tentei me contorcer na cama, o que era impossível porque ele não desgrudava de mim por nada. Ele movimentava seu corpo com rapidez, como se estivesse apressado para algo. Tentei acompanhá-lo, o que tirava o meu fôlego em segundos. Ele ficou em cima de mim na cama, apoiando com as mãos no lençol e roçando seu lábio no meu. Minha única vontade naquele momento era que isso não acabasse tão cedo.
A sensação que eu tinha, era como se meu coração fosse saltar pela boca a qualquer momento, ele palpitava fora do controle. Justin me beijava por todo o corpo consecutivamente, deixando-me arrepiada e completamente sem reação. Sua respiração ofegante estava cada vez soando mais alto, em meio gemidos com sua voz suavemente rouca e grossa, o que estava me deixando louca. Ele tentava calar a si próprio me pedindo beijos com uma simples e tradicional provocação. A essa altura eu já não respondia por mim mesma, sentia meu corpo arder por dentro, enquanto minhas pernas pareciam bambas, impedindo-me de continuar onde paramos. Justin ficou de joelhos, tendo uma visão mais distante minha, e observou-me por míseros segundos, provavelmente recuperando o fôlego, como se tivesse ficado 5 minutos sem respirar.
Voltou a deitar-se em cima de mim, continuando a movimentar seu corpo ainda com mais agilidade, virando-me na cama o que me fez permanecer ainda quase imóvel.
Tentei dizer-lhe algo, mas não consegui, o ar estava em falta e as palavras quase não saíam. Ele foi um pouco para trás, ficando com a cabeça em direção a minha barriga, fez uma trilha de beijos da mesma até meus seios, chupando-os com toda vontade do mundo, como se fosse uma criança se divertindo com o bico de uma mamadeira, ou até mesmo uma chupeta.
Minutos depois, ele parou o que estava fazendo e soltou seu corpo sem mover-se, com a cabeça apoiada entre os meu busto e os pés quase para fora da cama. Acariciei seu cabelo, enquanto ele suspirava sem parar, com os braços soltos para baixo. Ele parecia inerte, não respondia, não falava nada, apenas estava ali, deitado.
Achei melhor esperar um tempo antes de perguntá-lo algo. Sim, eu estava cansada, mas não com sono.
Notei que ele estava quase dormindo, quando um dos celulares começou a tocar. Ele disse: É o meu?
Assenti e falei: É o Scoot.
Ele pegou o celular da minha mão, sem dizer nada e atendeu.
Em menos de 2 minutos ele desligou, e disse todo calmo: O Scoot disse que irá passar na minha casa em mais ou menos duas horas.
Não respondi e continuei acariciando-o, que cruzou os braços em volta da minha cintura acomodando-se e disse: É tão bom ficar assim com você. Sabe, sem ninguém em nossa volta, descansando...Eu gosto disso.
Falei: Eu também gosto, é relaxante.
Ele veio rastejando até o meu lado, grudando no travesseiro e disse olhando-me nos olhos: Me desculpa por tudo isso amor, esses dias que passamos longe um do outro foi tão difícil pra mim, e aquelas coisas que aconteceram não facilitaram nada.
Concordei e disse: Quero que me desculpe também, por ter deixado tudo isso acontecer. Não é fácil essa nossa vida de namoro exposto para o mundo, mas com o tempo aprenderemos a nos lidar com isso.
Ele deu-me um selinho e disse: Eu amo você (Seu nome).
Sorri e disse: Também amo você Justin.
Permanecemos em silêncio por um tempo, durante uma troca de olhares inesperada e indescritível.
Ele disse após um longo suspiro carregado: É.
Falei olhando pra ele: É o que?
Ele riu e disse: Horas atrás, você me perguntou se era mentira que não tínhamos feito nada, e agora eu te respondi que é.
Disse: Agora eu entendi. Nem tinha lembrado mais disso.

[...]

Justin vestiu a mesma roupa de antes, e coloquei um vestido casual. Ficamos conversando enquanto mexíamos um no celular do outro, com a porta do quarto aberta caso alguém viesse nos irritar perguntando o que estávamos fazendo. Meu pai e o Vinícius chegariam entre 20 minutos, e o Justin irá embora daqui a pouco. Felizmente dará o tempo certo para eles não se cruzarem. Apesar que, seria bem divertido ver os dois discutindo.
Falei: E agora? Todo mundo já sabe que voltamos.
Ele deu os ombros e disse: Eu posso falar que estamos nos reconciliando ainda, nada muito sério, para ir com calma.
Falei: Pode ser, pensei em dizer isso também. Pelo menos será a mesma história.
Justin colocou o boné na cabeça e disse: Preciso voltar para casa agora. Tenho que tomar banho e separar umas roupas para colocar no guarda-roupa do ônibus.
Fiz bico com o lábio e disse: Poxa, mas já?
Ele fez que sim com a cabeça e levantou-se: Infelizmente. Daqui uns dias eu voltarei de vez, porque passarei um mês de férias e ficaremos mais tempo juntos.
Sorri e disse: Ainda bem. Enquanto isso irei me dedicar para os estudos.
Ele riu e disse: Enquanto isso nada, pode se dedicar o ano todo.
Ri e disse em tom de ironia: Pode deixar chefe.
Ele fez careta e disse abrindo os braços: Agora me abraça porque eu preciso ir.
Abracei-o forte, que me carregou no colo e falei: Não vai! Fica mais um pouco.
Ele me apertou e disse: Você sabe que se desse, eu ficaria aqui por dias.
Nos beijamos e ele disse: E outra, não seria legal se eu encontrasse com o Tom ou aquele seu amigo aqui.
Falei: É, mas seria divertido. Enfim, me ligue quando puder. Espero te ver em breve.
Ele deu um lindo sorriso e beijou-me novamente, afastou-se de longe e saiu do quarto: Muito em breve. Se cuida, já que não estarei aqui para fazer isso.
Como ele é fofo. Falei de longe: Digo o mesmo á você.
Logo ele saiu pela porta principal da sala, após abraçar a Lia e foi embora. Essas horas passaram tão rápidas, como se tivessem durado apenas alguns minutos.
Voltei para o quarto e sentei-me no chão, apoiando com as costas na beirada da cama, pensando no Justin. É tão estranho porque, o que me deu na cabeça? Há dias brigamos sem parar, ele me disse coisas terríveis, do mesmo jeito que eu o insultei e de uma hora para a outra ele vem em casa, voltamos a namorar e vamos para a cama. Não me arrependo, óbvio, mas não sei se foi a coisa certa a fazer.
Ouvi a voz do meu pai distante ''CADÊ A (SEU NOME)?'' Ih, lá vem bronca.
Saí do quarto de fininho e disse com a voz mansa: Estou aqui pai.
Ele e o Vinícius entraram juntos e foram falar com a Lia. Meu pai disse bravo: Aqui, agora.
Desci as escadas e fui até ele. Falei: O que aconteceu?
Ele disse ao cruzar os braços: COMO VOCÊ DEIXOU O BIEBER ENTRAR AQUI? VOCÊS SIMPLESMENTE VOLTAM A NAMORAR DO NADA E ELE PASSA A TARDE AQUI EM CASA?
Passei as mãos no rosto e disse: Ele não passou a tarde aqui! O Justin apenas veio conversar e acabamos nos resolvendo, só isso. De onde o senhor tirou que ele passou a tarde aqui?
Lia disse intrometendo-se: Mas ele acabou d... Peguei a almofada mais próxima e joguei nela, falando: Ele acabou de me ligar, só isso.
Ele disse: Não se esqueça que eu trabalho com a mídia, praticamente e sei de tudo o que acontece. Eu vi que ele veio aqui na hora em que vocês estavam na piscina e horas depois ele fez uma reportagem de vídeo e estava no seu quarto. VOCÊ ESTAVA APENAS DE SUTIÃ?
Até isso ele viu? Nossa, que legal. O que eu falo agora?
Falei me fazendo de surpresa: ESTÁ LOUCO PAI? Ele fez essa entrevista aqui em casa, porque era urgente mas ele já estava de saída. Eu tinha acabado de sair da piscina.
Ele disse: Não foi o que me pareceu. Até porque a cor do seu biquíni era outra.
Vinícius disse: E eu? Como fico?
Falei irritada: Você fica calado, não se mete.
Meu pai disse deixando as chaves na mesa: Você pensa que eu sou um adolescente? Que você fala qualquer coisa pra enganar fácil e consegue? Eu sei muito bem o tipo de garoto que ele é, e sei que você é toda derretida por ele. Isso não dá certo e já disse que não quero vocês juntos.
Falei: Você está vendo ele aqui comigo?-apontei para o nada- Ele não está aqui há horas, custa acreditar?
Ele assentiu e disse: Eu sei que você está mentindo. Pare de ser irônica, não gosto disso. Só quero que me explique o por que de tudo isso. POR QUE? O QUE VOCÊ VÊ NESSE GAROTO? ELE NÃO PRESTA (SEU NOME), ELE É UM IDIOTA QUE SÓ QUER SE APROVEITAR DE VOCÊ PORQUE É UMA ADOLESCENTE NOVA EM LOS ANGELES E ELE AINDA NÃO TE CONHECIA. JÁ TE FALEI QUE VOCÊ COMBINA MUITO MAIS COM O ANTHONY OU COM O VINÍCIUS. CUSTA OUVIR SEU PAI PELO MENOS UMA VEZ?
Ele falou exatamente igual ao Vinícius agora, a maneira como se refere ao Justin, como se ele fosse um garoto qualquer que sai pegando geral e não está nem ai com nada. É tão difícil eles entenderem que o Justin não é esse tipo de garoto? Por que eles não tentam entender o meu lado?
Subi as escadas correndo e gritei: PORQUE EU AMO O JUSTIN. É TÃO DIFÍCIL DE ENTENDER ISSO?
Bati com tudo a porta do meu quarto e me joguei na cama. Não mereço ficar ouvindo essas coisas logo agora, para acabar com o lindo dia que eu tive. Sempre tem que ter alguém para estragar com simples palavras ou atitudes.
Alguém abriu a porta do quarto, e disse: Só me responda uma coisa, não tem ninguém aqui.
Falei olhando pra ele: Fala Tom.
Ele disse sério: Você e aquele garoto já tiveram algum tipo de relação...mais íntima?
ELE É HOMEM, E MEU PAI. POR QUE ELE ESTÁ ME PERGUNTANDO ISSO.
Permaneci quieta, e ele disse: Responda (Seu nome) Hooper, anda. Estou esperando.

                                         Continuo na segunda 

Eaiiiiii gente. Tudo bem com vocês? Bom, esse cap ficou enrolado BLEH pq sim e acho que não ficou grande como eu queria. Estou meio sem tempo, e esse mês está impossível. obrigada pelos comentários-suas preguiçosas-significa muito pra mim quando elogiam e tal. GENTE O CLIPE DE THAT POWER FICOU DAORA, TIPO O JUSTIN É UM HOLOGRAMA. Só que ele ficou com cara de cú o tempo todo, eu em. Tenham uma boa noite, beijos.

11 comentários:

  1. continuaaaaaa ,perfeitooo *--*

    ResponderExcluir
  2. Perfect.. Amei ! Será que o Justin voltou mesmo cm a Selena?? Eu nao apoio e acho que e tudo rumor..

    ResponderExcluir
  3. eita,sera q ela vai contar? ele vai enloquecer.
    @fuckswagjb

    ResponderExcluir
  4. Hahhahhahahah também achei isso em that power lele
    Ta muito incrível muito mesmo ,amei e a parte hot Husahusshaah -eu adoro eu me amarro- rsrs'
    @Dudinhagarcia2

    ResponderExcluir
  5. KKkkk fikou legal (: .. Tipo ameu o Clip maas nao axeii perfeitto .. Bjoos

    ResponderExcluir
  6. ~Tom surtando em 1...2...3...

    ResponderExcluir
  7. SURTAAAAAAAANDO !!!!!! scr !!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Mds kra KKKKKKKKKKKKK "JÁ SIM PAI JÁ TRANSEI COM O JUSTIN MAIS DE TRÊS VEZES, FELIZ?" KKKKKKKKKKKKK quero que ela diga isso u.u continua

    ResponderExcluir