segunda-feira, 29 de abril de 2013

Never Give Up

3º Temporada - 13º Capítulo


 [Peguei meu celular e uma bolsa pequena, e saímos de casa. Fomos com o carro da Megan, e ao virar a rua haviam uns 5 fotógrafos parados provavelmente nos esperando. Até aqui eles me perseguem!]

Ela disse: Sério que eles irão nos seguir durante um mês aqui?
Dei os ombros e disse: Provavelmente, eles não tem o que fazer da vida, fora cuidar da dos outros.
Ela riu e disse: O pior é que é verdade.
Falei: Onde vamos?
Ela deu os ombros e disse: Podemos fazer compras, e almoçar pelo shopping mesmo.
Concordei e disse: Pode ser.
Liguei o radio e fiquei mexendo no celular.

                       "Só vou para o Brasil daqui um mês".

Respondi:

"UM MÊS? Isso é muito tempo. Por que você não vem antes?"

"Ah, agora você acha que um mês é muito tempo. Quando eu falei que era, você disse que era frescura."

"É completamente diferente. Quando acaba sua turnê?"

Justin-"É nada. Eu também acho que um mês é muito, mas por enquanto eu deixo você ficar ai. O ultimo show sera no Brasil."

"Você não tem que deixar nada, eu já ria ficar aqui mesmo."

Justin-"Você está chata hoje, tchau".

"Chato é você".

Guardei o celular e ela disse: Por que está com essa cara de brava?
Falei: Não estou brava. É que o Justin me irrita, ele falou que eu estou chata.
Ela riu e disse: Não consigo entender vocês. Brigam o tempo todo, mas do nada já estão de boa um com o outro.
Falei: Ele sente como se mandasse em mim, mas tudo bem, logo ele me liga para conversar.
Entramos no estacionamento do shopping e ela disse: Mas ele disse que você esta chata hoje, então ele não vai ter ligar.
Falei ao descer do carro: Fica quieta.
Ela disse rindo: É, seu namorado não sabe diferenciar chatice de tpm.
Falei impaciente: Não estou de tpm.
Entramos na maior loja de sapatos, que era a minha preferida. Fomos cercadas por varias pessoas, inclusive as fãs do Justin, querendo saber se ele viria comigo antes, essas coisas. Algumas garotas me pediram fotos, e como sou boazinha, prometi mandar um recado delas para o Justin. Almoçamos por lá mesmo, acabemos encontrando meus tios, que estavam surpresos ao me ver, queriam sabe como eu estava com a nova vida e blá blá blá. É bom saber que minha família esta perto de mim, estava precisando disso.
Só a Amanda, que eu não encontrei até agora. Ela me ligou ontem a noite, mas disse que vira logo para o Rio. Espero encontra-lá em breve.
Meus amigos daqui, quero dizer, colegas dos quais eu nem lembro mais o nome direito, nunca mais ouvi falar. Seria legal encontrar com eles um dia desses. Mas por um lado é bom saber que eles não me procuram, apenas porque eu e o Justin estamos morando juntos, e interesse econômico.
Saímos de lá no fim da tarde. Passamos no Mc e voltamos para casa. Megan foi até o quarto guardar as compras, e minha mãe me chamou na cozinha. Fui até ela e falei: Quer falar comigo mãe?
Ela assentiu e disse sentando-se perto do balcão: Quero saber como você está, com o que aconteceu recentemente.
Falei: Estou aqui para tentar esquecer isso e me distrair.
Ela disse: Como você se sentiu?
Falei: Eu entrei em choque, não sabia o que fazer...Nunca pensei que sentiria uma dor daquelas, de perder um filho que eu já amava, sem sequer tê-lo visto uma vez.
Ela acariciou meu cabelo e disse: É muito triste mesmo. Apesar disso, espero que você tenha aprendido a se preservar mais. Tanto você, quanto o Justin.
Falei: Temos completa noção disso, pode ficar tranquila.
Ela disse: Então você está bem mesmo? A cicatriz ainda está com curativo?
Fiz que não e mostrei pra ela, que a cicatriz ainda estava um tanto grande: Agora eu estou bem. Mas é uma coisa inesquecível.
Ela disse: Você ainda é muito nova, e terá um bom tempo para se preocupar com filhos. Você é uma adolescente.
Concordei e disse: Sei disso. Pode ficar tranquila mãe.
Ela disse: Só para ter certeza de que você está bem, fará um exame de rotina, para ver como está a sua saúde no geral.
Falei: Não precisa mãe. Eu já estou bem.
Ela disse: Isso não quer dizer que não precisa de um exame geral. Você e a Megan farão na semana que vem.
Falei: Em quanto tempo ficará pronto?
Ela deu os ombros e disse: Daqui um mês, mais ou menos. Você ainda não comprou sua passagem de volta, não é?
Falei ao abrir a geladeira: Nossa, demora muito. Irei embora daqui um mês, eu acho. Se não conseguir uma faculdade boa aqui.
Ela disse: Eu acho que compensa você cursar em San Diego. Lá tem muitas universidades boas, e não será tão longe pra você.
Falei: Eu sei, mas eu queria ver algumas daqui, para comparar com as dos Estados Unidos.
Minha mãe disse: Fale com a sua irmã. Ela te leva para conhecer várias essa semana, aí você tira suas dúvidas.
Falei: É uma boa. Agora vou tomar um banho e deitar, estou exausta.
Ela disse: Não vai jantar?
Fiz que não com a cabeça e falei indo para o quarto: Nós passamos no Mc.
Entrei no quarto, e a Megan estava sentada na cama dela mexendo no meu notebook.
Falei: Por que pegou o meu?
Ela deu os ombros e disse: Estava mais perto, peguei rapidinho só para falar com o Fredo.
Falei ao ligar a tv: Vocês ainda estão de rolo, ou o que?
Ela fez que não com a cabeça e disse ainda olhando para a tela: Agora somos apenas amigos, foi melhor assim.
Falei: Que estranho, do nada vocês decidiram isso?
Ela riu e disse: Não, faz um tempinho.
Peguei um pijama curto, azul e cinza muito fofo. Tomei um banho demorado e deitei-me na cama, enquanto ela ainda mexia no computador. Isso que era para ser rapidinho, imagine se fosse para demorar.
Nem comentei nada, apenas fiquei vendo tv, e mexendo no celular ao mesmo tempo.
Recebi um sms do Justin:

''Que horas são ai?''

Respondi-o:

''23h30. E ai?''

Ele respondeu:

''21h30. Vou te ligar''.

Não respondi e peguei meu fone de ouvido. Falei ao colocá-lo: Vou falar com o Justin, favor maneirar no barulho.
Ela disse sem me olhar: Eu estou quieta amiga.
Falei: Não me chama de amiga.
Assim que meu celular tocou, aumentei o volume e atendi já com o fone de ouvido.

                       -Ligação-

-Boa noite amor.
-Boa noite Justin.
-Está melhor?
-Melhor do que?
-Você estava chata hoje cedo.
-Eu não estava chata, estou normal.
-Verdade, está no seu normal-riu-
-Engraçado você. Está tudo bem por ai?
-Eu sou. Melhor agora, e você? Gostando de estar no Rio?
-Também. Estou sim, é bom descansar um pouco de tudo isso.
-Descansar de mim, você quer dizer.
-Não disse isso amor.
-Tá. Enfim, já comprei minha passagem e irei para o Brasil em 20 dias, porém iremos nos ver em 22 dias, porque tenho um show no Rio e chegarei no dia, não terei tempo algum.
-Ou seja, terei que ir até o seu hotel?
-Provavelmente sim. Passarei uma semana aqui, depois vou para São Paulo, Porto Alegre e se não me engano, alguma coisa horizonte.
-ri- Belo Horizonte Justin. Que legal! Quero ir com você. Então como vamos fazer?
-Assim que eu chegar aí, te aviso e você vem para o meu hotel, faço o meu show e depois você dorme lá comigo. No dia seguinte, terei 3 entrevistas de manhã e depois vamos almoçar na sua casa, durante a tarde quero conhecer mais da cidade, que você irá me levar, e de noite o show.
-Nossa, você já programou tudo, quase um mês antes?
-Mas é claro. Se não ficará tudo uma bagunça.
-Você fala como se fosse super organizado.
-Eu sou.
-É nada.
-Algum paparazzi te perguntou sobre o nosso namoro ai?
-Poucos, queriam saber por que eu estava aqui no Rio sozinha, se você viria logo e as mesmas coisas de sempre.
-Me perguntaram se tínhamos terminado, eu achei isso estranho.
-Eu não achei.
-Por que não?
-Sei lá...Você aí, eu aqui assim do nada.
-Para com isso.
-ri- É brincadeira. Perguntaram o mesmo pra mim, eu neguei, óbvio.
-Ah bom. Ai de você se tivesse falado alguma besteira.

[...]

-Me fez bem conversar com você. Estava me sentindo tão sozinho.
-Sozinho por que?
-Ah, porque mesmo que o pessoal da equipe esteja aqui, eu sinto falta de conversar com você. Sabe, conversar sobre qualquer coisa, é bom.
-Também penso assim. Bom, agora eu preciso desligar. Aqui já passou das 2h.
-Tudo bem princesa. Tenha uma boa noite, e sonhe comigo.
-Você também amor, sonhe comigo. Eu amo você.
-Também te amo.

                          -Ligação- 

Desliguei o celular e notei que Megan já dormia há tempos. Peguei meu note que estava na cama dela e desliguei a tv, enquanto entrei nas minhas redes sociais. Faço questão de entrar nos sites de notícias sobre o Justin, para saber as baboseiras que eles falam, ou se inventam alguma coisa. Pelo jeito está tudo estabilizado, melhor assim.
Guardei tudo, e coloquei meu celular para carregar. Saí do quarto e fiz minhas higienes, voltei e deitei-me novamente. Só espero que tudo ocorra bem por aqui.

                              20 dias [...]

Foi tudo tão tranquilo nesses últimos dias, que me fez lembrar da minha vida antes do Justin. Como tudo funcionava, eu trabalhava, morava com a minha irmã e tinha uma vida completamente diferente. A única coisa que permaneceu, é que continuo independente. Nunca
Semana retrasada, nós fizemos os exames que minha mãe pediu, e ficarão prontos em uma semana, eu acho. Fomos vários dias para a praia, cidades vizinhas. Eu iria ao Cristo pela milésima vez, mas o Justin disse que eu tenho que ir com ele. Peguei o carro da minha mãe, já que ela quase não usa e fui para vários lugares sozinha. Encontrei com a Mandi e ela passou uns dias aqui. Esses dias, encontrei também com duas garotas que já estudaram comigo, em uma boate. Que mundo pequeno. Dei sorte que os paparazzi não ficam ao redor da nossa casa, apenas
Acordei com a claridade da janela, refletindo em todo o quarto. Olhei no visor do celular, e sim, era hoje. O JUSTIN VEM PARA O BRASIL.
Abri todas as janelas, e peguei meu travesseiro. Fui até a cama da Megan e bati com o mesmo na cabeça dela: ACORDA MEGAN LOPES. É HOJE, É HOJE.
Ela disse sonolenta: Sua vaca, para com isso.
Ignorei o que ela disse, e continuei batendo. Ela gritou: PARA COM ISSO PORRA.
Falei: Então levanta, rápido.
Ela disse: Por que? O que tem hoje?
Falei animada: Como assim você não sabe? O JUSTIN CHEGA NO RIO HOJE. Vamos até o aeroporto esperá-lo. Ele deve chegar em uma hora.
Ela disse sentada na cama: Não acredito que você me acordou agora pra isso. Eu irei vê-lo só amanhã.
Falei: FAZ UM MÊS QUE NÃO NOS VEMOS. ISSO É MUITO TEMPO! Vem tomar café logo, porque daqui a pouco iremos sair.
Ela soltou uma gargalhada forçada e disse: Há. Não vou agora.
Saí do quarto e fiz minhas higienes. Tomei um banho rápido e vesti algo mais simples e bonito. Um top preto, com uma blusa fina caída em um dos ombros, pouco curta e um shorts degradê preto e roxo. Sequei o cabelo e desci até a cozinha.
Minha mãe estava falando no telefone enquanto levava a jarra de suco até a mesa.
Sentei-me, e assim que ela desligou sorri esperando ela me olhar, que disse: Bom dia filha. O que aconteceu para você estar tão animada?
Falei ainda sorrindo: O Justin chega hoje! Irei daqui a pouco no aeroporto.
Ela disse: Verdade, você comentou comigo e com seu pai todos esses dias.
Tomamos nosso café, e falei: Amanhã ele vem almoçar aqui, tá?
Ela assentiu e disse: Certo. Ele tem show hoje?
Falei: Tem, vou com ele e provavelmente passarei a noite no hotel.
Ela não respondeu e terminei meu café. Olhei no visor do celular e falei: Já são 11h. Ele está para chegar! Preciso ir logo para o aeroporto.
Fui até o quarto e peguei uma bolsa pequena, Megan já estava dormindo de novo. Fiz minhas higienes e peguei a chave do carro da minha mãe.
Passei um gloss, rímel e peguei meus óculos de sol. Dei um beijo em minha mãe e saí de casa as pressas.
Liguei a rádio e por coincidência tocava Take You. Fui cantando durante o caminho, e assim que virei na rua do aeroporto, estava completamente congestionado. Mais de 100 pessoas para fora, sem contar com as que estariam lá dentro.
Fui para o estacionamento privado. E ao descer do carro, fui cercada por mais de 20 fotógrafos.
''Você veio buscar o Justin?'' ''Que horas ele chega?'' ''Quantos dias ele ficará aqui?'' ''Vocês não se veem há quanto tempo?''
Falei passando reto por eles: Não nos vemos há um mês. Não sei, talvez uns 10 dias.
Entrei no aeroporto e haviam mais de 200 pessoas gritando feito loucas, elas chamavam pelo Justin, diziam que o amavam mesmo sem ele estar ali.
Como eu vou chegar até ele? Não tem nenhum segurança aqui, muito menos alguém que possa me ajudar.
Fiquei na ponta dos pés, tentando enxergar o Dustin ou os outros seguranças. Mandei um sms para ele, que respondeu na hora:

''Já te vi. Estou indo ai''

Em minutos, ele veio até mim, deixando para trás todas as fãs que continuavam gritando. Ele me puxou pelo braço rapidamente até o meio do lugar, em que todos da equipe passavam com as malas. Eram mais de 20 seguranças. E olha, que geralmente são 2 ou 3. Brasil é outra coisa.
Justin estava tão cercado por eles, que não consegui vê-lo. Os fotógrafos tentando se aproximar. Haviam policiais fora do aeroporto para manter o controle, ou melhor, tentar.
Dustin disse: Todos da equipe irão para os carros, la´na garagem. Você espera aqui com os 5 seguranças que estão rodeando o Justin.
Assenti sem opinar e ele saiu correndo com o Fredo, Allison, Jamaica, os dançarinos e todos os outros. Scooter e Kenny foram os últimos a sair. Eles passaram sorrindo pelos fãs e foram até o estacionamento sem muita cerimônia.
Encostei na pilastra que dividia os fãs dos seguranças, e um deles me chamou. Fui até lá e eles abriram uma roda, onde o Justin estava. Assim que ele me viu, abriu um lindo e enorme sorriso.



Me abraçou forte e deu-me um beijo no rosto. Segurei a mão dele e falei: Você vai no meu carro. Vamos.
Ele concordou e passamos por todos os fãs. Com dois seguranças na frente, dois atrás e um deles rodeando tudo. Que vida complicada.
Ele sorriu para as fãs e tirou várias fotos no caminho. Ignorou os paparazzi e chegamos ao estacionamento. Estava apenas rodeado de policiais e seguranças. Justin disse: Eu vou no carro da Seu nome. Iremos para o hotel.
Falei olhando para o Fredo, que estava no outro carro: É o Palace?
Ele assentiu e disse: Iremos entrar pelos fundos, e vocês dois pela frente mesmo com os seguranças.
Entramos no carro, e Justin deixou as malas dele com os outros seguranças, que iriam nos seguir com o carro.
Fechamos as portas e antes que eu pudesse ligá-lo, ele segurou minha mão e disse: Não estava aguentando mais ficar sem te ver.
Dei um selinho nele, que me beijou e disse: Foi difícil te ver ali e não poder te agarrar na frente de todos.
Ri e disse: Ainda bem que você não fez isso.
Ele riu e disse: Acredite, eu me segurei.
Falei: Por que está com essa jaqueta? Estamos no Rio de Janeiro amor.
Ele tirou-a e disse: Costume. Depois eu tiro.
Falei: Você faz ideia de quantas pessoas devem estar te esperando no hotel?
Ele disse risonho: É por isso que eu amo esse lugar.
Falei: Ama tanto que veio só uma vez.
Ele fez careta e deu-me um beijo no rosto: Essa é a minha segunda vez, então shiu.
Justin ligou o rádio e disse: De quem é esse carro?
Falei: Da minha mãe, por que?
Ele disse aliviado: Ah bom. Pensei que tivesse comprado.
Ri e disse: Qual seria o problema?
Ele disse ao mexer no celular: Seria que, se você tivesse comprado iria ficar aqui pra sempre.
Falei: Não mistura as coisas amor.
Ele apoiou com a mão esquerda em minha coxa, e disse ao apertá-la: Muito curto esse shorts, e essa blusa também.
Falei: É nada, está super calor.
Ele disse: Por isso mesmo. Os garotos ficam te olhando na cara dura.
Justin abaixou os vidros e foi acenando para todos na rua. Coitado, se sente o Príncipe William.
Assim que chegamos ao hotel, era impossível passar pelas garotas atrapalhando a passagem. Os seguranças que estavam com o carro atrás do nosso, fizeram sinal para que dessemos a volta no quarteirão, para entrar no estacionamento.

                               Continuo na quarta

Gente, plmdds me desculpem. Vocês demoraram para comentar, então contando pelos coments eu atrasei um dia. Tem pouquíssima gente comentando essa fic, e como estou sem tempo, penso seriamente em parar com ela lá pelo cap 20 e pouco. Já é a 3º temporada mesmo. Porém é apenas uma hipótese.
Os comentários de vocês são fofos, e é engraçado todo mundo falando ''alli vadia'' hahahahahahahaha coitada da garota. Espero que estejam gostando. Qualquer coisa venham falar comigo.
Tenham uma boa noite, beijos.

domingo, 28 de abril de 2013

Let It Be

34º Capítulo


[Olhei pra ele, que fez gesto com as mãos, para que eu fosse até lá. Fui sem dizer nada e falei: O que foi?
Ele disse: Quero que escute nossa conversa.]

Com certeza ele vai falar algo importante, pelos menos ele não deve ter me chamado aqui para nada.
Justin pegou na minha mão e disse: Eu estava falando para o seu amigo tomar cuidado com o que ele faz, porque eu não gosto de brincar com esse tipo de coisa.
Vinícius disse desinteressado: Não sei do que esta falando cara, mas não tenho nada a ver com o seu namoro.
Continuei apenas olhando para os dois enquanto conversavam, e Justin disse. todos já sabem que você é apaixonado por ela. Isso já basta.
Chamaram pelo Vinícius e Justin disse com a voz baixa: não se atreva a tocá-la, com segundas intenções.
Ele soltou um riso e saiu. Falei: O que esta acontecendo? Você parece calmo com tudo isso.
Ele deu os ombros e disse: Não vou mais perder a cabeça, ou melhor, vou tentar.
Falei: Melhor assim.
Ele sorriu e disse: Vamos para outro lugar?
Assenti e disse: Podemos ir embora. Ainda tenho que fazer algumas lições.
Ele disse: Pode ser. Avise seu pai.
Fomos até ele e galei: Pai, eu e o Justin vamos passear por ai, tá?
Ele assentiu e disse sem nos olhar: Se cuida filha.
Não respondi e saímos de lá. Alguns fotógrafos tentaram se aproximar, mas Justin foi mais rápido e puxou-me pela mão correndo até o carro. Entramos e falei: Onde vamos?
Ele disse ligando o carro: Podemos estacionar perto do próximo estúdio, deve estar vazio.
Falei: E por que? Podemos ir para outro lugar.
Ele passou uma das mãos em minha coxa, enquanto manobrava o carro com a outra. Fomos duas ruas a frente, parando na entrada de um dos estúdios, que estava fechado por hoje. Ele estacionou e disse: Vamos ficar aqui um pouco.
Falei: Mas que mania você tem de ficar no carro.
Ele deu os ombros e disse: Mania tem você, de implicar com a minha mania.
Ri e ele também. Falei: Vamos ficar só um pouco aqui.
Ele assentiu e disse: Sim senhorita.
Ficamos um de frente para o outro, e disse: você acha que dará certo?
Ele disse: O que?
Falei olhando pra ele: Nós. Anda tudo tão complicado.
Ele deu-me um selinho e disse: Já esta dando certo.
Nos beijamos, e antes que pudesse falar algo, ele me beijou consecutivamente para que não falássemos mais sobre esse assunto. Aos poucos ele ia mais para a frente, me levando para trás até que eu apoiasse na porta do meu lado. Soltei uma das mãos em seu pescoço, enquanto ele direcionava minha cabeça segurando-a com as duas mãos, me apertando as bochechas. Mordeu forte meu lábio, e riu ao pausar o beijo. Falei: Ai.
Ri e ele disse passando o polegar sobre o mesmo: Doeu?
Fiz que sim com a cabeça, e fiz bico: Claro.
Ele deu-me um beijo de leve no lábio e disse: E agora, melhorou?
Fiz que não com a cabeça e ele deu outro beijo na ponta. Falei: Ainda esta doendo.
Ele sorriu e me agarrou inesperadamente. Foram beijos intensos e não paramos sequer um segundo para recuperar o fôlego, ou dizer algo.
Dei um selinho nele, que disse: E agora, ainda está doendo?
Falei sacana: Que dor?
Ele riu e disse: Isso mesmo.
Falei: Podemos ir para outro lugar agora?
Ele balançou a cabeça e disse: Daqui a pouco.
Justin aproximou-se, puxando meu lábio devagar com os dentes e falei: Não quero, você morde forte e machuca.
Ele disse ainda próximo: Sabe o que é isso? Muito desejo, tenho que controlar de alguma maneira.
Falei: Mesmo assim, você machuca.
Ele colocou meu cabelo para trás e disse entre selinhos: Não irei te machucar. Você tem uma boca muito beijável para ficar machucada.
Falei: Só por isso?
Ele fez que não com a cabeça e me abraçou: Claro que não. Agora vamos para outro lugar. Cansei de ficar no carro.
Falei: Finalmente. Onde vamos?
Ele disse olhando para a frente: Eu pensei em você ir em casa. Minha mãe só te ou uma vez, e quer você lá mais vezes.
Falei: Mas ela não saiu?
Ele fez que sim com a cabeça e disse: Ela só volta a noite. Enquanto isso posso te ajudar com as lições e depois você vai jantar em casa.
Concordei e disse: Pode ser.
Fomos ouvindo música alta o caminho todo e ele disse: Preciso parar em uma livraria, urgente.
Falei: vai comprar algum livro?
Ele fez que não com a cabeça e disse: Não. Uma revista muito daora, você precisa ver.
Ele estacionou em frente a grande entrada e disse: Já volto, será rápido.
Concordei sem opinar e mexi no celular enquanto ele não voltava. Em questão de 5 minutos ele voltou para o carro e deu-me um chiclete: Comprei balas também.
Ele já estava mascando o chiclete e peguei o meu. Falei: Cadê a revista?
Ele tirou da sacola duas revistas iguais da teen vogue com ele na capa e disse: Fala ai, estou muito gato.
Ri e disse: Não acredito que parou aqui para comprar uma revista sua.
Ele disse: Mas é claro. Eu tenho todas. E essa foi uma das melhores até agora. Essa outra eu comprei pra você.
Ele me entregou e falei: Obrigada, mas eu já tenho a minha.
Ele disse surpreso: Como assim, quando você comprou?
Falei: Faz uns dias. Logo quando saiu.
Ele disse: Poxa. Então darei essa para alguém. Vou até autografar.
Falei: Não seja louco de entregar a qualquer uma teen vogue autografada. Tem que ser para um fã.
Ele fez que sim com a cabeça e disse: Sei disso. Quer apostar que acharei uma fã para dar em menos de 20 minutos?
Falei: Duvido. Não tem fãs nos seguindo, nem paparazzi.
Ele riu e disse: Não me desafie. Você vai ver.
Justin tornou a correr em alta velocidade e começou a falar com o Fredo pelo viva-voz, deixando o celular no meu colo.
Parou em um semáforo e abaixou nossos vidros. Olhou ao redor e um grupo pequeno de adolescentes começou a gritar: É O JUSTIN. MEU DEUS, É ELE. Coincidentemente, uma delas vestia uma blusa personalizada dele.
Justin rapidamente fez um gesto para que elas se aproximassem e disse: Essa revista é para vocês. Esta autografada.
A garota pegou rapidamente a revista e sorri para ela, tentando ser simpática. Assim que o sinal abriu, ele acenou de longe e fomos embora.
Olhou pra mim e disse: Deveríamos ter apostado.
Falei: e o que você apostaria?
Ele disse: Não sei, mas teria sido uma boa ideia.
Entramos no condomínio, assim que meu celular começou a tocar.
Atendi rapidamente, ao ver que era a Keisy. Ela quase nunca me liga.

                          -ligação-

-eai Ke
-Oi (seu apelido). Você esta em casa?
-acabei de chegar, por que?
-é que eu não vou no colégio amanha e queria deixar meu caderno com você. Posso passar ai rapidinho?
-Claro. Estou te esperando.
-Beleza. Em 10 minutos estou ai.
-ok, beijo.

                    -Ligação-

Justin disse ao descer do carro: Quem é Ke?
Falei: A Keisy, da minha sala. Ela vai passar aqui em 10 minutos.
Ele não respondeu e entrou primeiro. Falei para a empregada: Iremos estudar lá em cima, qualquer coisa é só nos chamas.
Ela assentiu e falei: Minha amiga Keisy esta para chegar. Pode falar para ela ir até o quarto.
Ela assentiu novamente e disse: Ok senhorita Hooper.
Falei: Já disse que pode me chamar de (seu apelido)-ri-.
Fomos até o quarto e ele disse sentando-se na minha cama: Pegue seus cadernos.
-Tirou o boné e ligou o ar com o controle--Vou te ensinar,-riu- qual matéria mesmo?
Falei colocando os cadernos na cama: Biologia a, b e inglês.
E disse: Sou expert em inglês. Era uma das minhas matérias preferidas.
Falei: É apenas gramática, muito chato.
Ele fez que não com a cabeça e disse: Não se esqueça que inglês não é sua língua oficial, você deveria gostar.
Falei em tom de zoação: Se você não falasse eu não iria saber, nossa.
Ele fez careta e disse: Sem graça.
Falei: Eu gosto, mas a parte da gramática é chata.
Ele ignorou o que eu disse e começou a folhar o livro de explicação e os cadernos de inglês.
Bateram na porta e falei: Entra.
Keisy abriu-a devagar, e entrou acompanhada do irmão, com alguns cadernos na mão.
Abracei-a e falei: Até que você veio rápido.
Ela concordou e disse olhando para o Justin: É...10 minutos.
Cumprimentei o Kaique e falei: Vocês já sabem quem é ele, mas prefiro apresentá-lo como meu namorado. Justin, essa é a Keisy e o irmão dela, Kaique.
Justin levantou-se e cumprimentou os dois. Notei seu olhar torto e falei: Por que você não vai amanha Ke?
Ela não conseguia nem disfarçar, estava secando o Justin na cara dura. Falou: Vou viajar com os meus pais por 3 dias. Por isso trouxe todos os meus cadernos. Se você puder anotar a matéria pra mim, ou pelo menos passar o resumo eu agradeço.
Concordei e disse colocando-os na escrivaninha: Anoto sim. Que beleza. Boa viagem.
Justin estava parado perto da porta, falando com o Kaique. Pelo que eu bem conheço a figura, ele obviamente queria saber se já nos conhecíamos antes, em que serie ele esta, e se somos muito amigos. O que mais ele iria querer saber?
Ela disse: Agora precisamos ir. Vamos Kaique.
Ele assentiu e disse: Até mais (Seu nome).
Abracei os dois e fui até a porta para acompanha-Los. Justin ficou no quarto e Keisy disse: Como ele é lindo.
Falei seria: Ele é mesmo.
Ela foi embora e voltei para o quarto. Justin estava sem camisa lendo o livro, e disse: Até que esse Kaique é legal.
Falei: Ele é, mas quase nunca conversamos.
Ele riu e disse: Estou sabendo.
Falei: Imaginei que perguntaria a ele.
Justin riu e disse: Venha estudar.
Sentei-me de frente pra ele na cama, e falei: É só você me explicar a matéria.
Ele disse: É inglês, não tem o que explicar.
Falei: ou seja?
Ele disse me olhando: vou tentar te explicar.
Ele sorriu e raspou a garganta, como se estivesse se preparando. Continuei olhando pra ele, que disse mudando a voz, tentando ficar serio: Vou te ensinar a conjugar no presente perfeito, as regras mais complicadas.
Ri e disse: Não faca isso, você fica engraçado. E eu já aprendi isso.
Ele disse: Esse é o meu jeito de explicar. Mas as regras que eu vou te mostrar, você ainda não sabe.
Falei: Se for para ensinar assim, não vi aprender nada.
Ele disse: Então você assume que ainda não sabe?
Falei: Não, você entendeu o que eu disse.
Ele fez que sim com a cabeça e disse: Você fica me distraindo, e eu não explico. Fica quieta que eu vou começar.
Revirei os olhos e ele começou a me explicar a matéria. Até que ele ficou serio e explicou direitinho. Fiz alguns exercícios enquanto ele deu uma olhada em biologia, e depois ele corrigiu os exercícios.
Ele disse ao me olhar: Se você não tirar nota máxima nessa prova, você vai se ver comigo. Porque além de ser fácil, eu te expliquei bonitinho.
Concordei e disse: Pode deixar Bieber.
Ele disse: Você não é minha advogada para me chamar de bieber.-riu-
Falei: Você tem advogada?
Ele disse: Foi apenas um exemplo.
Peguei o celular e fiquei olhando a pagina inicial do instagram. Justin tirou-o da minha mão e disse: Vamos estudar biologia mocinha.
Revirei os olhos e disse: Estou cansada. Depois a gente estuda.
Ele fez que não com a cabeça e disse: nada disso. Vamos estudar agora, assim você fica livre.
Falei: Que sem graça.
Ele aproximou-se ficando de joelhos na cama e fitou meus lábios. Dei um selinho nele, que me beijou e falei: Não iríamos estudar?
Ele imitou minha voz e disse: Graciosa você amor.
Falei: Eu sou.
Ele pegou novamente os livros e disse: Vamos começar por bio a, porque a b é mais chata.
Concordei e ele começou a explicar. Minutos depois, tocou meu celular, e Justin atendeu, segundo ele para não me desconcentrar. Era a minha mãe. Ele foi todo simpático e puxou assunto com ela, disse que estava ansioso para conhecê-la e bateram o maior papo. Sorte que a minha mãe é ex-professora de inglês, então ela sabe de tudo. Passaram cerca de 15 minutos conversando, e nem tive tempo de falar com ela.
Ele disse sorridente: Ela é bem simpática e disse que me adora.
Falei: Ela te adora mesmo. Esta até pensando em passar um tempo aqui na Califórnia para te conhecer.
Ele disse empolgado: Sério? Quero que ela venha logo então.
Falei: Ela só precisa ver as passagens e hospedagem, porque ela ficar aqui em casa seria um pouco tenso. Meu pai e ela não se dariam bem aqui.
Ele disse: Entendo como é, pais separados não é tão legal, mas se pensar pelo lado bom, temos duas casas.
Ri e falei: Isso é divertido. Agora chega de estudar, porque eu cansei.
Ele disse: Mas eu ainda não terminei de te explicar. Você precisa estudar.
Falei: A prova é só segunda amor, ainda tenho tempo.
Ele disse: Então no fim de semana iremos estudar de novo.
Ri e disse: Passar o final de semana estudando? Nem sonha.
Ele deixou os cadernos de lado e disse:
Agora podemos descansar mesmo. O que acha de ir pra casa agora? Minha mãe deve chegar daqui a pouco.
Falei: Liga pra ela, qualquer coisa iremos agora ou mais tarde.
Ele assentiu e deitei com a cabeça em suas pernas, olhei pra ele, tendo uma visão de ponta cabeça.
Justin ligou para a Pattie enquanto me fazia cafuné. Assim que desligou, disse: Ela já esta em casa, e disse que vai passar aqui.
Falei: Por que ela vai passar aqui? Vamos sair?
Ele deu os ombros e disse: Acho que sim. Ela só disse que passaria aqui agora, para sairmos.
Falei: Veste a camisa então e vamos ficar lá fora.
Ele vestiu, e colocou o boné na cabeça. Ficou se olhando no espelho e prendi o cabelo em um rabo de cavalo.
Justin disse ficando atrás de mim: Não entendo por que você prende o cabelo. Esta lindo, solta ele.
Falei: Porque ele esta feio, não gosto de sair com ele solto assim.
Ele soltou meu cabelo e disse ao dar-me um beijo na bochecha: Eu prefiro assim. Você está linda.
Sorri e disse: Apesar do seu otimismo, me convenceu.
Ele me abraçou forte e disse: Agora vamos.
Ele segurou minha mão e saímos do quarto. Desci as escadas e meu pai estava indo em direção a porta. Deve ser a Pattie.
Justin foi rapidamente atrás dele e disse: Quem é?
Antes que meu pai respondesse, ele abriu a porta e Justin colocou as mãos no rosto, como de estivesse preocupado. Pattie deu um sorriso completamente sem graça e fui até eles.
Meu pai disse um tanto sem jeito: É... Patrícia? Que surpresa.
Ela falou olhando para o Justin: Vim buscar meu filho e a (Seu nome). Iremos sair.
Falei toda animada: Que bom que você veio. Eu vou com ela, tá pai?
Ele assentiu meio surpreso e Justin disse me empurrando: Vamos indo então amor. Vai com a minha mãe para o carro, que eu já vou.
O que esta acontecendo? Eles estão com uma cara de como se estivesse me escondendo algo.

                                             Justin pov

Tantas pessoas nessa casa para atender a porta, e tinha que ser logo o Tom? A cara que os dois fizeram foi de como se não esperassem encontrar um com o outro. Para que a (seu nome) não percebesse a situação, empurrei-a para que fosse até o carro com a minha mãe. Obviamente ela percebeu que tinha algo errado ali, mas melhor esquecer esse assunto.
Assim que as dias entraram no carro, voltei para a casa e falei: Ela não sabe de nada?
O tom fez que não com a cabeça e disse: Nada. Não quero vocês muito juntos com ela.
Falei impaciente: Mas é a minha mãe. O que você quer eu eu faça? Uma hora ela terá que saber.
Ele disse: Também não gosto de vocês juntos, e sabe disso. Evite passar com a Patricia aqui, e não toque nesse assunto com a minha filha.
Falei: Foda-se, não iremos terminar por isso. E você nem pense em se aproximar de nós.
Ele disse: Se enxerga Bieber.
Bati a porta dele irritado e fui para o meu carro. Falei de longe para a minha mãe: Vamos com dois carros. Vem comigo amor.
Ela saiu do carro e veio até o meu. Minha mãe fez sinal para que eu a seguisse. Assim que a (Seu nome) sentou-se ao meu lado, disse seria: O que foi aquilo?
Falei ao me fazer de desentendido: Aquilo o que amor?
Ela disse: Qual é Justin, meu pai conhece a Pattie, vocês já se conheciam...O que foi tudo isso?

                                      Continuo com 17 comentários

Eaii gente, tudo bem com vocês? Cara, eu já falei que esse mês está impossível, então não reclamem muito haha pq por um milagre eu to conseguindo postar. Eu escrevi TUDO pelo celular, então se estiver algo escrito errado ou meio nada a ver, a culpa é do corretor. Espero que estejam gostando desa fic, porque eu já bolei o que vai acontecer mais ou menos até o cap 50 e pouco, eu acho. 
Jelena voltou, que sejam felizes e é isso ae. Não quero xingamentos, pq também não sou mto a favor, mas beleza.
Tenham um ótimo dia, beijos.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Let It Be

33º Capítulo


[Ele deu os ombros e disse: Não diria que é o motivo principal, mas pode ser considerado assim também.
Detesto quando ele faz esse mistério para me dizer algo.]

Fui estalando os dedos o caminho todo, ansiosa e pensativa sobre o que ele queria me contar. Será que é o motivo principal pelo qual ele não gosta do Justin? Ou apenas irá falar as mesmas coisas de sempre, para que eu termine com ele, aproveite mais minha adolescência, porque ele também é famoso, mas tem uma vida mais complicada e blá blá blá. Não aguento mais ouvir a mesma coisa. 
Se a minha mãe estivesse aqui, ela iria apoiar mais do que qualquer pessoa, iria querer conhecê-lo, e deixaria numa boa. Mas não, meu pai tem que implicar com isso, parece que isso incomoda a vida dele. 
Falei: Vai demorar muito pra chegar?
Ele disse: Por que a pressa? Já estamos chegando.
Falei como se fosse óbvio: Além de estar morrendo de fome, estou curiosa.
Ele deu os ombros e disse: Será apenas uma conversa.
Meu pai estacionou perto de um restaurante e descemos do carro. Ao entrar, haviam vários fotógrafos tirando fotos de algumas celebridades que estavam por lá. Cameron Diaz,  Anne Hathaway, Jessica Biel, acompanhadas de amigas e alguns garotos muito bonitos. É estranho, porque meu pai já trabalhou com todas ela, eu acho. Então pra ele isso é completamente normal. Ainda não me acostumei com isso.
Cutuquei-o e disse tentando ser discreta: Eu quero uma foto com a Anne Hathaway.
Ele disse sentando-se perto dela, após cumprimentá-las de longe: Agora não. Ela está em horário de almoço, e sempre passa pelo meu estúdio.
Falei: E você nunca me disse que a conhecia? Poxa em pai, valeu.
Ele disse: Eu sou um diretor de cinema, você já deveria saber que eu conheço todos os atores dessa cidade.
Fiz careta e fizemos os pedidos. Falei: Então, o que quer me dizer?
Ele disse ao ficar sério: Eu falo, você escuta e só quando eu permitir, você opina. Fechado?
Assenti e ele disse: Bom, por onde começar. Primeiro, quando você conheceu o Bieber, ele já sabia que você era minha filha e já havia me perguntado algumas vezes, se algum dia você viria pra cá, na época em que eramos amigos. Mas como eu não gosto dele, evitei tocar novamente nesse assunto. Aí você começou a disfarçar, como se não o conhecesse e depois de uns 3 dias, vocês simplesmente começam a um namoro falso, não tão falso assim. Mesmo com esse namoro falso, eu deixei você ir para Chicago com ele, mesmo não gostando da história. Dias depois, vocês assumem um namoro real, que na verdade era para ser marketing, mas DO NADA se apaixonam um pelo outro. Vocês brigaram feio por conta do Madsen e do Vinícius, o que eu achei bobeira porque seria muito melhor se você estivesse com um deles, mas isso não vem ao caso agora. Depois de toda essa briga, ele vem para Los Angeles de repente e passa a tarde em casa com você, como se nada tivesse acontecido e volta para a turnê dele. 
Ele parou de falar e ficou me encarando. Permaneci quieta, tentei não parecer irritada. Ele continuou: A questão é, quando você vai me ouvir e aceitar que ele está apenas se aproveitando de você? Ele é quase um adulto, e sabe muito bem o que está fazendo. Você só tem 16 anos e não enxerga o que ele realmente quer de você. Ele sabe que tem você quando ele quiser, não importa o que aconteça. Ele é muito famoso, e quase não tem tempo para esse tipo de relacionamento, praticamente a distância. Vai chegar uma hora em que você irá se envolver com alguém daqui, e ele com outra pessoa. Estou apenas tentando polpar seu sofrimento.
Continuei quieta, e ele disse: Agora você pode opinar.
Falei calma: Não sei de onde o senhor tirou tudo isso pai. Eu amo o Justin e ele também me ama. Se apesar de tudo, estamos juntos, é porque nos importamos um com o outro. Ele não quer se aproveitar de mim, eu sei disso. Conheço o tipo de garoto que ele é. Por que não me disse que ele perguntava sobre mim, antes mesmo de me conhecer? Não acho que iremos terminar tão cedo assim.
Ele disse: Você pode amá-lo, mas ele é garoto e sente um amor diferente por você. O amor de momento. Quando ele está com você, te ama mais do que ninguém, mas quando ele está longe, pode até se esquecer de você por míseros segundos, o que não é certo. Não falei porque não queria vocês de papo, mas agora não adianta mais mesmo. 
Essa doeu, mas vamos fingir que não me importei. Falei: Para com isso pai. Você não vai conseguir fazer com que eu o enxergue de outra maneira, eu sei quem ele é e isso que importa. Por que você tem tanta implicância com ele?
Ele disse: Um dia você irá enxergar que eu estou certo. Bom, primeiro, porque há um tempo ele andou se metendo em coisas inapropriadas, como drogas e umas companhias não viáveis. Isso acaba com qualquer adolescente. Você sabe o que o efeito da droga faz com as pessoas? Isso é perigoso.
Suspirei e disse: Isso já faz tempo, e ele sabe que errou. Não acho que seja um motivo para ele não ser uma boa pessoa.
Ele disse: Mas pra mim é, um grande motivo.
Falei: E qual é o principal?
Ele desviou o olhar e disse: Algo pessoal. Não vou falar sobre isso.
Almoçamos ainda conversando sobre isso, e falei: Me chamou aqui só para falar isso?
Ele assentiu e disse: Você acha pouco?
Falei: Não achei nada demais. 
Ele disse: Não dou 3 meses para que você se decepcione com ele, de novo.
Falei: Eu sei que você não apoia meu namoro com o Justin, mas pensar desse jeito não colabora.
Ele disse: Estou sendo sincero. 
Terminamos o almoço e falei: Daqui uns 3 dias, ele volta para Los Angeles durante um mês. Espero que mude os seus conceitos sobre ele.
Ele disse: Isso é o que você pensa.

[...]

Meu pai pagou a conta e saímos de lá, quando não haviam mais celebridade, eu acho.
Fomos fotografados caminhando até o carro e os paparazzi começaram com as perguntas:
''Tom, você apoia o namoro da (Seu nome) com o Bieber?'' 'Vocês são amigos?'' 
Meu pai disse olhando pra eles: Não somos amigos.
Por que ele foi falar isso? Era só não responder, mas não, tem que deixar claro que odeia o garoto. Do jeito que a mídia é, daqui a pouco inventam que irei fugir de casa para ficar com o Justin.
Entramos no carro e falei: Por que disse que não é amigo dele?
Ele disse: Queria que eu mentisse?
Falei: Claro que não, era só não responder.
Ele disse: Não tenho o que esconder, apenas disse que não somos amigos. Não é nada demais.
Mandei um sms para o Justin durante o caminho:
 
''Quando você volta? Estou com saudades ):''

Ele respondeu:

''Mais breve do que você imagina. Também estou com saudades amor''.

  Se ele passou 11 dias fora, só pode voltar semana que vem.   
Fomos ouvindo música alta até chegar em casa, e assim que entramos no condomínio, falei: Quer que eu vá ao estúdio hoje?
Ele disse estacionando: Sim. Só passei em casa para pegar uns papéis e já iremos sair.
Concordei e desci do carro com a minha bolsa. Ao entrar em casa, Vinícius andava de um lado para o outro falando no celular com alguém. Parecia irritado, mas como ainda estamos meio brigados, não perguntei nada.
Subi até o quarto e falei: Só vou trocar esse tênis. 
Meu pai assentiu e foi até o sóton. Entrei no meu quarto e coloquei uma sapatilha, fiz um coque frouxo no cabelo, escovei os dentes e retoquei o gloss. 
Saí do quarto apenas com o celular nas mãos e fui até a sala. Justin estava me ligando e atendi indo até o carro, para esperar meu pai.

-Ligação-

- amor?
- eai amor
-Onde você está?
-Indo para o estúdio com o meu pai. 
-O do filme mesmo? 
-Sim... Por que a pergunta?
-Eu vi que ele falou de mim agora pouco, queria saber onde você estava.
-Ah sim. 
-Está tudo bem?
-Sim Justin, e com você?
-Também. Quero te ver logo. 
-Quando você volta?
-Não sei ainda, provavelmente na semana que vem. Agora preciso desligar, o Scoot está me chamando.
-Tá, amo você.
-Também te amo.

-Ligação-

Que estranho. Ele me liga do nada para perguntar onde estou. Meu pai já estava no carro e fomos até o estúdio. Não era tão longe, mas um caminho cansativo.
Ao chegar, coloquei meus fones de ouvido e falei: O Vinícius não vem hoje?
Meu pai disse: Ele e a Lia devem chegar daqui a pouco. Só não saíram com a gente, porque ela estava estudando no quarto.
Concordei e disse: Ah tá. Vou ficar andando por aí, quero conhecer esse lugar.
Ele disse rindo: Só não vá se perder. Tem mais de 8 estúdios de filmes diferentes por aqui.
Assenti e disse: Poxa, vou tentar-ri-
Ele foi até o seu estúdio e continuei caminhando, passando pelas ruas dentro do enorme estúdio, rodeado por outros estúdios. Eram apenas celebridades que passavam por ali, chegava a ser um tanto estranho, a normalidade deles de não serem reconhecidos aqui dentro.
Recebi um sms:

''Trilha á esquerda''.

O que? Do que ele está falando?
 Respondi-o:

''Do que está falando Justin?''

Ele enviou o mesmo sms de antes, e não disse mais nada. Olhei ao redor e continuei andando. Em segundos, recebi outro:

''TRILHA Á ESQUERDA''

Não mereço. Ou ele está brincando comigo, ou continua mandando para a pessoa errada. Mesmo que nesse lugar tivesse uma trilha, ele nunca veio aqui, só entrou no estúdio do meu pai. Não tem como ele saber onde estou.
Dei a volta em uma volta e avistei uma pequena trilha, mais a frente. Provavelmente deve ser essa que ele está falando. Pelo menos ficava a minha esquerda. Fui caminhando pela trilha, e estava um completo silêncio. Continuei ouvindo música com o meu fone e sentei-me no primeiro banco que vi. Ficava ao redor de uma enorme árvore, no meio do caminho. Fechei os olhos apoiando com a cabeça no encosto e cantarolei o refrão de Stay, da Rihanna que tocava em um volume alto.
Senti algo me cutucar de leve na perna, mas permaneci de olhos fechados. Não tem ninguém aqui a essa hora, deve ser uma folha. 
Alguém passou a mão em minha coxa, apertando-a e falei: JUSTIN?


Ele riu e disse ao colocar o braço em volta dos meus ombros: Oi amor.
Falei surpresa: O que faz aqui? Como chegou aqui agora?
Ele riu e disse: Se quiser eu vou embora.-riu- Eu vim de avião mesmo.
Falei: Estou falando sério. E os seus shows? 
 Ele virou-se de frente pra mim e disse: Não te disse que ficaria um mês de folga?-assenti-Então, estou aqui. Só terei um show meio perdido por aí, mas será em 15 dias. Logo eu volto.
Falei ainda surpresa: Mas como...que horas você chegou na Califórnia?
Ele passou a mão em meu rosto, soltando meu cabelo de leve e beijou-me, levando-me mais próxima a ele. Abracei-o, que disse entre selinhos: Faz pouco tempo. Na hora em que te liguei, havia acabado de chegar em casa. Avisei minha mãe que viria aqui e perguntei se ela queria jantar fora, mas como ela irá resolver as coisas dela, o tempo é nosso.
Assim que ele tirou o boné, falei olhando-o: Você deveria ter me avisado que viria. Apareceu do nada!
Ele disse risonho: E isso não é bom? Eu te mandei mensagens, falando sobre a trilha. Era um aviso.
Falei: Claro que é, mas eu não sabia que você viria. Até porque eu entendi na hora que era uma pista, claro.
Ele sorriu e me abraçou forte: Como eu senti sua falta. 
Pensei em falar pra ele sobre a conversa com o meu pai, mas não queria piorar as coisas, logo agora que estamos voltando ao normal, sem discussões nem nada. Melhor esquecer esse assunto.
 Apoiei com a cabeça em seu ombro, e ele tirou meus fones de ouvido, colocando-os no bolso e disse: Amanhã te buscarei na escola e iremos almoçar fora. É o dia da semana em que eu não faço nada, além de descansar, então ficaremos por aí, nos divertindo.
Concordei e disse: Por mim está ótimo. Desde que você me ajude a estudar para biologia.
Ele riu e disse: Essa parte não é comigo, mas posso tentar. Quando começam suas provas?
Falei: Na segunda. Ainda tenho tempo.
  Ele deu-me um beijo e falei: Vamos voltar para o estúdio. Quero que meu pai veja que você está aqui.
Ele disse: Vamos ficar mais um pouco aqui. Está tão bom ficar aqui com você.
Beijei-o e disse: Podemos voltar aqui depois, vem.
Ele levantou-se e entrelaçou uma de suas mãos na minha. Assim saímos da trilha e passamos pelas ruas desertas, que por sorte não haviam paparazzi, nem fãs correndo atrás dele, ninguém.
Chegamos até o estúdio do meu pai, e haviam mais de 40 pessoas passando por todos os lugares, falando ao mesmo tempo e mais a frente meu pai falando com um dos figurantes. Entramos ainda de mãos dadas e haviam cerca de 4 fotógrafos perto do meu pai, fotografando tudo. Justin fez questão de ir até lá, e assim que meu pai nos viu, disse: Bieber? Desde quando você está aqui?
Ele sorriu e disse: Cheguei hoje. Achei melhor fazer uma surpresa para a sua filha.
Ele colocou um dos braços em volta da minha cintura e meu pai disse: E por que estão aqui?
Falei: Ele veio me fazer companhia pai. 
Justin disse: O Vinícius e o Madsen estão aqui?
Dei os ombros e disse: Sei lá. Meu pai voltou para o trabalho sem muita conversa e falei: Vamos nos sentar mais para trás, é melhor.
Fomos até os maquiadores e nos sentamos perto deles, onde haviam poucas pessoas. Falei apontando para a esquerda: O Vinícius está ali.
Ele disse: Ótimo. Quero ter uma conversa com ele.
Justin levantou-se e falei ao segurá-lo pelo braço: O que você quer com ele?
Ele disse: Relaxa princesa, será apenas uma conversa.
Deu-me um selinho e foi até ele. Fiquei olhando de longe, e Vini olhou-me, assim que Justin o cumprimentou. Pelo jeito ele está super tranquilo hoje, depois de ser todo simpático com o meu pai e ir falar com o Vini numa boa. Tem alguma coisa no meio disso, só pode.
 Minutos depois, ele disse de longe: AMOR.
Olhei pra ele, que fez gesto com as mãos, para que eu fosse até lá. Fui sem dizer nada e falei: O que foi?
Ele disse: Quero que escute nossa conversa.

 Continuo no domingo 

Olá gente. Tudo bem por ai? Bom, eu atrasei pq sabem como é né, vida de colegial não é nada fácil e esse mês está impossível. Tentei deixar esse cap grande, mas acho que ficou pequeno. Fiz o Justin aparecer nesse, porque se demorasse ficaria sem graça e tem que acontecer as coisas legais logo. Obrigada pelos comentários <3 significa demais pra mim. Espero que estejam gostando mesmo dessa fic. Qualquer coisa venham falar cmg. Beijos. 

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Never Give Up

3º Temporada - 12º Capítulo


[Mas o que? Senti uma vontade incontrolável de rir na cara dele, mas achei falta de educação e segurei o riso: É, não. Estamos apenas namorando.Ignorei-o que rapidamente se afastou e coloquei meu fone de ouvido. Mal posso esperar para pisar finalmente no Rio de Janeiro.] 

As aeromoças passavam por mim, e uma delas disse: Você é a namorada do Bieber?
Falei ainda com o fone: É, sim. Por que?
Ela disse toda empolgada: Ai que legal. Eu adoro vocês juntos.
Sorri e disse: Obrigada.
Mas que coisa. Já estou ansiosa, e ninguém me deixa dormir.
Fingi estar dormindo, esperando o sono vir e pensando em tudo que já aconteceu na Califórnia. Será que esta sendo uma boa ideia voltar para a casa dos meus pais? E se conseguir uma ótima faculdade lá? O Justin vai ficar irritado, mas tudo bem, a gente aprende a lidar com a situação.

[...]

Já comi várias bolachas, tomei suco, dormi e ainda não chegamos. Que demora. Deveria ter marcado o vôo para a noite.
O piloto nos avisou que iríamos pousar em minutos. Ah, finalmente. Já não aguentava mais ficar aqui sentada. Levantei-me junto com os outros, e varias garotas me pediram fotos, dizendo que adoravam meu namoro com o Justin e blá blá blá.
Tomara que quando eu sair desse avião, não tenham paparazzi me cercando. Fui uma das primeiras a descer, e o local dos aviões estava vazio.
Fui até o lugar de pegar as malas, e fiquei esperando a minha. Mandei um SMS para a Megan "cheguei".
Peguei minhas duas malas e coloquei-as no carrinho. Fui até a porta de vidro, que abriu-se pelo sensor. Olhei ao redor e haviam muitas pessoas nesse aeroporto. Avistei a Megan e minha mãe acenando e longe, gesticulando para que eu saísse pelo outro lado. Provavelmente mais vazio.
Dei a volta e sai por trás, dando de cara com elas. Abracei as duas de uma vez, e disse: Que saudade eu estava de vocês.
Minha mãe não me soltava, e a Megan disse empurrando meu carrinho: Rápido. Os paparazzi estão atrás de você. Estacionamos na garagem. Vem.
Ela me puxou pelo braço até a saída, enquanto todos me olhavam curiosos. Provavelmente me reconheceram, mas felizmente permaneceram me olhando de longe.
Entramos no carro e falei: Por que tudo isso? Tem muitos fotógrafos aqui?
Minha mar disse ao ligar o carro: Você não faz ideia. Na hora em que chegamos, eles nos encheram de perguntas.
Ao sair, notei que haviam mais de 10 deles me fotografando dentro do carro. Falei rindo: Eles mãe?
Ela assentiu e disse: Você viu quantos?
Falei: São poucos-ri-normal.
Megan disse: Mas e ai, como andam as coisas?
Falei: Agora esta tudo bem. Minha festa foi incrível. Vocês tinham que estar lá.
Ela disse animada: Trouxe os seus presentes?
Falei: Alguns sim. Depois você vê tudo.
Minha mãe disse: E o Justin? Não ficou bravo por você ter vindo?
Dei os ombros e disse: Ficou, até demais. Depois de brigarmos por isso, acho que ele finalmente entendeu.
Assim que chegamos em casa, desço do carro e avistei fotógrafos do outro lado da rua. Acenei para eles ainda com os óculos de sol e entrei em casa puxando uma das malas.
Minha mãe disse: Você não pode ficar carregando muito peso. Só piora o seu curativo.
Falei: Já faz tempo mãe, eu já posso carregar peso.
Ela disse: Mas não é legal abusar.
Falei ao entrar na sala: Cade meu pai?
Megan disse: Só vem para o jantar. Ele não sabe que você já chegou.
Falei: Ah tá. Onde irei dormir?
Megan me puxou pelo braço e disse: No meu quarto. Vem.
Subimos as escadas correndo e demos de frente com uma porta entre aberto. Era o quarto dela, provavelmente. Abri a pota e havia uma cama de casal, e outro de solteiro na parede. Um guarda-roupa tamanho médio, uma tv na parede, uma escrivaninha com o notebook e varias coisas dela.
Falei: Desde quando você está morando aqui?
Ela deu os ombros e disse sentando-se na cama: Desde setembro do ano passado. Comecei a faculdade esse ano, e tive que me mudar antes para organizar melhor.
Falei: Que legal. Estou louca para fazer a faculdade aqui no Rio. O que você acha?
Ela disse: Eu acho que o seu namorado não iria gostar nada disso.
Ri e disse: Ele pensa que manda. Farei de fotografia e modelo. Tomara que de certo.
Ela disse: Você pretende ficar aqui de vez?
Fiz que não com a cabeça e disse: Acho que não. Eu gosto de morar na Califórnia. Mas preciso decidir minha faculdade e emprego. Não quero ser dependente do Justin.
Ela disse enquanto abria uma de minhas malas: Vocês são milionários (Seu apelido). Não precisa trabalhar.
Falei: Ele é milionário, eu não.
Ela disse: Você conhece seu namorado e sabe que ele irá implicar se você quiser trabalhar para pagar a faculdade.
Falei: Isso eu resolvo com o tempo. Logo ele aceita.
Ela riu e disse: Pelo jeito vocês estão meio distantes, não?
Dei os ombros e disse: Não estamos distantes, é porque ele ainda está em turnê, então ele não tem muito o que opinar sobre o que eu faço. Estamos bem.
Sentei-me na cama e ela disse: Menos mal. Vamos desfazer suas malas, porque iremos jantar fora e você já termina isso logo.
Falei: Ah não. Quero jantar aqui em casa. Há tanto tempo não como a comida da mãe, sinto falta.
Megan disse colocando as roupas na mesa: Como você é de lua. Vou avisá-la então. Já volto.
Assenti sem responder e ela saiu do quarto. Nem acredito que finalmente estou na minha antiga casa, sem paparazzi, sem mídia me questionando, sem discussões, apenas na minha casa.
Deitei-me na cama e fitei o teto por alguns segundos. Olhei para a tv e liguei-a. Meu celular tocou e olhei no visor, era um número desconhecido, do Canadá.
Quem seria a essa hora? Atendi mesmo sem saber quem era.

           -Ligação-

-Alô?Quem fala?
-É a Seu nome. Quem está falando?
-Ufa. Pensei que tivesse ligado errado. É a Alli, amiga do Justin e do Chaz.
-O que você quer comigo?
-Calma...Eu só, queria te dizer que eu não queria que você e o Justin tivessem terminado. Só porque eu e o Chaz terminamos de novo, você deve estar pensando que eu ajudei você e o Bieber a terminarem, eu juro que agora eu não fiz nada.
-ri- Do que está falando? Eu e o Justin não terminamos. De onde você tirou isso?
-Como não? Você está no Brasil e ele voltou para a turnê... Eu tinha certeza que vocês tinham terminado e acabei me sentindo culpada.
-Não terminamos. O que te fez sentir culpada?
-É porque...Quando nós ficamos, ele disse que te amava e essas coisas. Pensei que tivessem brigado por isso.

Soltei o celular e suspirei para manter a calma. Olhei novamente para a tela e falei com a voz mais calma do mundo.

-Vocês ficaram?
-É...Sim. No dia depois que ele veio aqui, mas não foi nada demais.
-Eu sei disso. Era só isso que você queria me dizer?
-Sim.
-Ótimo.

                                   -Ligação- 

Megan estava sentada na beira da cama, e disse: Quem era? Você estava com a voz mais falsa do mundo.
Bufei irritada e disse: Uma garota idiota, me ligou falando que ela e o Justin ficaram. Será que é verdade?
Ela disse: Você a conhece? Eles se conhecem?
Fiz que sim com a cabeça e falei: Ele não seria louco de fazer isso de novo.
Megan disse me passando o celular dela: Liga pra ele do meu. Assim ele não saberá que é você, e talvez nem lembre desse assunto.
Falei: Não faz diferença. Eu ligo do meu mesmo. Só preciso me acalmar antes, para não estourar com ele antes de saber o que aconteceu.
Ela assentiu sem opinar e liguei para ele, que atendeu logo no segundo toque.
  
               -Ligação- 

-Oi princesa. Chegou agora?
-Oi Justin. Faz uns 20 minutos. Estava desfazendo as malas.
-Ah sim...E foi tudo bem de viagem?
-Foi. Posso te fazer uma pergunta?
-Todas que você quiser.
-Você ficou com a Alli, em algum momento?
-Ah...loira? Não que eu me lembre. Por que a pergunta?
-Como assim, não que eu me lembre?
-riu-É porque eu acabei desmaiando aquele dia. E pode ser que ela tenha me atacado, por isso não me lembro.
-Não gostei dessa explicação. Estou falando sério.
-Calma amor, eu não fiquei com ela. Não sou trouxa de fazer isso com você.
-De novo, você quer dizer. E não me chame de amor, porque estou brava.
-Mas o que eu fiz agora?
-Nada Justin, nada. Depois eu te ligo.
-Grossa. Tá.

         -Ligação-

Deixei no viva-voz para que a Megan ouvisse a conversa, e ela disse: Vocês pareciam calmos.
Falei: É que nós discutimos diariamente, então não temos porquê nos irritar pelo celular.
Ela concordou e continuamos conversando, para que eu esquecesse esse assunto um pouco.
Já havia anoitecido e até agora meu pai não tinha chego. Quero jantar logo para dormir. Estou exausta de passar tantas horas naquele avião, sentada no maior tédio. E tem gente que consegue descansar lá, eu em.
Tomei um banho e vesti meu pijama. Assim que voltei para o quarto, estava vazio e ouvi a voz do meu pai de longe. Desci as escadas correndo e ele abriu os braços para que eu pudesse abraçá-lo. Dei vários beijos em seu rosto e falei: Que saudades pai. Pensei que não voltaria hoje.
Ele riu e disse ainda me abraçando: Senti muito sua falta filha. Atrasei porque hoje o dia foi bem puxado.
Fomos até a mesa e nos sentamos.
Minha mãe disse: E o Justin filha? Até agora você não comentou sobre ele.
Megan bocuda tinha que falar o que não deveria: Eles brigaram há horas.
Cerrei-a com os olhos e falei: Quieta Megan Lopes. Não tem o que falar mãe. Estamos bem.
Minha mãe disse: Mas vocês brigaram. Isso para mim não é estar bem.
Dei os ombros e disse: É bobeira.
Meu pai decidiu não opinar quando se tratava do Justin, ou melhor, ele comentava uma coisa ou outra, mas não tentava entender o assunto, ou o que andava acontecendo. Melhor assim, um a menos para me questionar.
Voltei para o quarto e recebi um sms do Justin:

''Aqui já passou das 2h. Podemos conversar? Quero saber de onde você tirou essas coisas daquela garota''.

Respondi-o:

''Ela me ligou falando isso, e pensou que tivéssemos terminado. Não quero conversar agora, ainda estou irritada''.

Ele respondeu em questão de segundos:

''E você acreditou nela? Poxa...Tudo bem, conversamos depois então. Só uma coisa, eu amo você''.

Deixei o celular de lado e deitei-me na cama. Apagamos as luzes e Megan disse: Amanhã cedo iremos sair para o shopping e passar o dia fora. Fechado?
Falei: E a sua faculdade mocinha?
Ela riu e disse: Amanhã é sábado mana, não vou.
Falei: Ah tá. Tomara que não tenham muitos fotógrafos nos cercando, preciso descansar da mídia, pelo menos por uns dias.
Ela disse: Deixa que isso eu resolvo.
Do jeito que o Justin falou, com certeza aquela garota mentiu para saber minha reação. Ela deve ter pensado que eu iria discutir com ela, e terminar com o Justin na hora. Nunca que eu faria isso, ainda mais porque essa loira aguada mentiu. Eu acho. O que importa é que ele levou no bom humor e disse que me ama. Isso está de bom tamanho. Amanhã eu ligo para ele e poderemos conversar com mais calma.

[...]

Acordei com o meu celular tocando, no último volume, ecoando todo o quarto. Falei ainda com os olhos fechados: Que saco esse celular. Quem é?
Sim, eu estava sozinha no quarto e não tinha percebido. Olhei no visor e haviam mais de 20 mensagens do Justin de bom dia, perguntando como eu estava, se poderíamos conversar, falando que ele estava indo para uma entrevista, dizendo que já havia tomado café da manhã. Parecia até que ele estava no twitter, falando sozinho. Tirei print de tudo o que ele mandou, que ficou na minha página inicial e postei no twitter ''é tipo twitter''. Logo ele me mandou uma dm ''responda o seu namorado, grato''.
Respondi-o com um bom dia e disse que não precisava conversar, porque estávamos mais calmos. Ele ficou mais tranquilo e paramos de conversar.
Saí do quarto e fui direto tomar um banho. Já que iríamos sair mais cedo mesmo, melhor ficar pronta antes. Como estou no Rio de Janeiro, vesti o shorts mais curto que eu tinha, e uma regata branca com uns estrass para enfeitar. Deixei o cabelo solto, após secá-lo e passei pouca maquiagem. Fui até a mesa e sentei-me sozinha para o café. Olhei ao redor e a casa parecia vazia. Que legal, todo mundo esqueceu que eu voltei e saíram como rotina, me deixando aqui. Ótimo isso, nossa.
Assim que terminei o café, me deu uma dor de cabeça tão forte, que achei melhor ficar sentada no sofá um pouco para ver se passava sem a necessidade de remédios. Liguei a tv e fiquei ouvindo o jornal. Como é bom ouvir novamente o português. As vezes cansa querer falar em português com alguém lá da outra casa, e praticamente ninguém entender. O Justin então, nem se fala. Só sabe o que é olá, tchau, te amo e obrigado. SÓ. Isso é decepcionante. Porque o resto do vocabulário ele tenta entender, mas quase não consegue. Minutos depois, ouvi alguém bater a porta e dizer: BOM DIA (SEU APELIDO). PRONTA PRA PASSEAR?
Falei ainda sem olhá-la: Não estou aguentando de dor de cabeça. Vou ficar em casa.
Ela me puxou pelo braço e disse: Pode tomar um remédio e vamos. Não quero você desanimada logo hoje.
Falei: Onde nós vamos? Preciso tomar um remédio agora.
Fomos até a cozinha e revirei a caixinha de remédios, até achar o para dor de cabeça. Ela disse enquanto pegava um copo d'água: Ah, seu namorado me ligou há uma hora.
Falei: O que ele queria?
Ela disse: Queria saber por que você estava brava com ele, e que ele não fez nada e blá blá blá.
Falei: Ah, já nos resolvemos.
Ela riu e disse: Como você é rápida.
Peguei meu celular e uma bolsa pequena, e saímos de casa. Fomos com o carro da Megan, e ao virar a rua haviam uns 5 fotógrafos parados provavelmente nos esperando. Até aqui eles me perseguem!

                                         Continuo com 15 comentários 

Eaii gente. Tudo bem c vocês? Bom, ficou pequeno e sem graça pq minha semana de provas está acabando, mesmo assim tá meio corrido esse mês e eu já falei antes mesmo. Obrigada pelos comentários e elogios sobre essa fic. O principal dessa temporada, está apra acontecer daqui uns 3 caps eu acho, ainda no Brasil mesmo. Faz parte da pequena sinopse que eu já postei. Espero que estejam gostando, tenham uma boa noite e se quiserem podem vir falar comigo. 
Beijos.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Let It Be

32º Capítulo


[ELE É HOMEM, E MEU PAI. POR QUE ELE ESTÁ ME PERGUNTANDO ISSO?
Permaneci quieta, e ele disse: Responda (Seu nome) Hooper, anda. Estou esperando.]

Falei em tom de ironia: Não não pai. Quando eu fui para Chicago com ele, dormimos em quartos-soletrei- COMPLETAMENTE separados, os dias que passamos juntos ele dormiu de um lado e eu de outro. NADA DEMAIS.
Ele estava boquiaberto com a minha confissão irônica. Agora eu já falei mesmo, então não tenho nada a perder. A única coisa que ele pode fazer é tentar me proibir de ver o Justin, mas ele nem esta aqui mesmo.
Meu pai parecia não saber o que dizer. Continuou olhando-me pensativo e disse: Não acredito que você me disse isso na maior tranquilidade, como se eu fosse seu amigo do colégio.
Falei olhando pra ele: Como você queria que eu falasse?
Ele disse como se fosse óbvio: Poderia ter dito que nunca pensou em dormir com um garoto que você conheceu há dois meses.
Falei: Você iria descobrir a verdade em pouco tempo.
Ele disse serio: Não acredito que me decepcionei tanto com você em pouco tempo. Nem seus amigos estão se metendo em confusões e você só faz coisas erradas.
Falei: Confusões? O que eu fiz de errado agora?
Ele disse: Você ainda pergunta? Primeiro, logo quando chegamos aqui você já começou a se enrolar com o Bieber, o que eu te disse que era errado porque ele não é uma boa influencia pra você. Segundo, essa polemica de você ter traído o seu namorado com o seu melhor amigo. Terceira, depois de tudo vocês ainda voltam a namorar e o pior, você assume que já dormiu com ele, como se disse a coisa mais normal do mundo para uma adolescente de 16 anos.
Falei: Exatamente, porque eu tenho 16 anos e sei muito bem o que eu faço. E tudo isso não foram confusões, mas sim imprevistos que deram para acontecer assim, tudo de uma vez. Você deveria agradecer por eu ter sido tão sincera.
Ele disse: Você esta na Califórnia filha. Por que não tenta focar nos estudos? Começar a trabalhar comigo, fazer novas amizades, sair com novos garotos. Você foi irônica.
Falei: Eu posso muito bem fazer tudo isso que você esta falando, menos a parte de sair com novos garotos, porque eu tenho namorado pai. Não se esqueça disso. E se eu for trabalhar com você, só ira piorar, porque tem o Anthony. E eu não gosto dele.
Ele disse indo até a porta: Então o jeito é você voltar a morar com a sua mãe.
Falei surpresa: DE JEITO NENHUM. Eu vou ficar aqui.
Ele disse já no corredor: Não se esqueça que você é menor de idade.
Suspirei irritada e sentei-me novamente, empurrando a porta com força.
Tem que ter alguém pra estragar, é incrível.
Apesar que, se pensar por outro lado meu pai foi mais compreensível do que eu esperava. Pelo menos essa parte já foi, não tenho mais com o que me preocupar, eu acho.
Peguei meu material escolar e dei uma revisada em tudo o que os professores passaram essa semana. Não posso cair nas notas, se não meu pai me deporta de vez para o Brasil.
Coloquei meu fone de ouvido e terminei de estudar pouco tempo depois.
Passei um tempo conversando com o Justin e a Keisy pelo whatsapp. Justin teve um ensaio e foi para o ônibus da turnê. Conversamos sobre hoje, as coisas que o meu pai me disse, e assuntos aleatórios.
Fiz minhas higienes e tranquei a portando quarto para que ninguém viesse me irritar.
Mandei boa noite para o Justin, que respondeu:

"Boa noite amor. Eu amo você, demais".

Nada melhor do que dormir relaxada depois de um dia como esses. Por mais que eu tentasse, não conseguia tirar dos pensamentos as nossas conversas de hoje, os melhores momentos e até mesmo a conversa com o meu pai.
Está tudo tão confuso, de uma hora para outra brigamos e terminamos pra valer. No dia seguinte ele aparece aqui e passamos a tarde no quarto, como se fossemos namorados há um bom tempo, o que não é verdade. Será que fiz a coisa certa? Quero dizer, posso ter me precipitado deixando tudo isso acontecer em um momento como esse, mas foi bom. Me sinto mais aliviada ao saber que estamos bem um com o outro.

10 dias [...]

Nada pior do que acordar ás 8h para se arrumar a tempo de entrar na primeira aula do colégio. Apesar que, não posso reclamar, no Brasil tinha que acordar duas horas mais cedo. Odeio as terças, porque ainda faltam mais 3 dias de aula, e ainda nem chegou na metade da semana.
Vesti um shorts curto e uma blusa 3/4 cor de flamingo e um vans preto. Depois do café, passei um gloss e lápis para dar um brilho e esperei a Lia terminar de se arrumar.
Todos os dias, na hora em que eu saio de casa, o Justin me manda um sms dizendo ''boa aula, eu amo você''. Estou tão feliz porque está tudo dando certo, tirando o meu pai e o Anthony, claro, porque se dependesse do Tom eu já estaria namorando o protagonista do filme dele há dias. O Vinícius então, estou polpando discussões com ele. Mesmo depois de dias, estou chateada com tudo o que ele fez assim, de uma vez só e só vem falar comigo pra dizer que quer o meu bem e blá blá blá. Enfim...Saí de casa com o meu carro e com a Lia. Vinícius iria apenas na segunda aula, porque segundo ele, sem querer acordou mais tarde. Melhor assim, ninguém merece ele reclamando da maneira como eu dirijo logo cedo. Ainda acho que ele pensa que é meu segundo pai.
Estacionei em frente ao portão principal e descemos do carro juntas. Já estava me acostumando com alguns paparazzi parados na entrada me esperando chegar, como se fosse mudar a vida deles uma foto minha conversando com os meus amigos. Isso não é nada difícil de se conseguir. Até porque, agora o Justin falou para Deus e o mundo que estamos juntos novamente e nada rolou entre eu e o Vini. Me tranquilizou bastante.
Fui direto para o meu armário e guardei a bolsa. Peguei apenas dois livros para os 4 primeiros tempos. Fiquei parada perto do refeitório enquanto várias pessoas passavam por mim conversando. Keisy aproximou-se ao lado de um garoto, era bem alto, bem mesmo. Loiro de olhos castanhos. É incrível como só tem garotos lindos nesse colégio. Se eu soubesse teria vindo pra cá bem antes.
Cumprimentei os dois e Keisy disse: Bem, esse é o Kaique. Meu irmão mais velho. Ele queria te conhecer.
Nossa, então eles são irmãos? Sorri simpática e disse: Ah sim. Muito prazer Kaique. Sou a (Seu nome).
Ele riu e disse ao apoiar com o braço no ombro da Keisy: É, eu sei-riu-. Brasileira, não é?
Concordei e disse: Isso mesmo. Você está no último ano?
Ele assentiu e disse: Sim, finalmente.
É legal eu ser a única brasileira dessa escola, me sinto ainda mais inteligente por falar uma das línguas mais difíceis do mundo. Pelo menos eu acho que sou a única daqui que falo português, fora a Lia e o Vini, claro.
Assim que bateu o sinal, fomos para a nossa sala e sentei-me perto da Keisy, na última fileira.
Ela disse: Meu irmão te adora.
Falei surpresa: Me adora? Como assim? Ele nem me conhecia.
Ela disse: Digamos que a Kaique sempre amou os filmes dirigidos pelo seu pai, então ele já sabia quem era você antes mesmo do Justin.
Falei boquiaberta: Está falando sério? Ele já sabia quem eu era antes mesmo de eu me mudar pra cá?
Ela riu e disse: Pra você ver...
A professora entrou na sala e começou a explicar matéria nova. Um tédio, mas querendo ou não, eu tinha que prestar atenção para ir bem nas provas.

[...]

Saí da escola um pouco mais cedo, terminei as tarefas e fui liberada. Fiquei no carro esperando bater o sinal para a Lia vir.
Ouvia música alta com os vidros fechados e o carro trancado, para que ninguém abrisse a porta do nada.
Meu celular vibrou:

''Ainda está em aula? Preciso te mandar uma coisa''.

Respondi:

''Já fui liberada amor. Pode mandar''.

O que será que ele quer me mandar? Fiquei esperando ele responder, o que demorou mais de 5 minutos e nada...Será que aconteceu alguma coisa?
Logo meu celular vibrou e abri o sms, era um texto pouco grande:

''Há dias completamos um mês de namoro. Não comemoramos essa data, porque passamos por tantas discussões e desentendimentos no decorrer do nosso namoro, que acabamos esquecendo disso. Sei que não estou sendo o namorado que você esperava, mas mesmo longe eu estou tentando. Você sabe que se eu pudesse, estaria com você agora, para te abraçar e dizer o quanto eu te amo. Queria que soubesse o tamanho do meu amor por você, queria poder te dizer isso olhando nos seus lindos olhos. Estava deitado sozinho nessa cama, pensando em como seria se você estivesse aqui comigo, me fazendo rir, teimando com as coisas que eu falo e poder sentir seu beijo. 
Por mais que muitas pessoas tentem, não irão conseguir nos afetar, porque o amor que sentimos um pelo outro é muito maior e mais forte do que tudo isso pelo que estamos passando. Você é a minha garota, e nada e ninguém mudará isso. Voltarei para Los Angeles em breve, e poderemos passar um bom tempo juntos. Eu te amo muito mais do que você imagina. Tenha um ótimo dia, pensando em mim, claro. Beijos, Justin''.

Se tinha algo que eu menos esperava numa hora dessas era uma declaração do Justin. Como ele me manda isso do nada? Esse garoto é demais mesmo! Esperei alguns minutos, e assim que a Lia entrou no carro, disse: Nossa amiga, o que aconteceu?
Passei as mãos no rosto e disse: O Justin me mandou uma declaração, assim do nada.
Ela pegou meu celular e disse: Deixa eu ler.
Liguei o carro e fomos embora daquele lugar. Ela foi lendo em voz alta, tentando imitar a voz do Justin como se fosse ele me dizendo. Ri, afinal estava muito engraçado.
Paramos no semáforo e respondi-o rapidamente. Como meu pai ainda tem coragem de dizer que ele não é uma boa pessoa, e que não se importa? Ele não sabe o que diz, não é possível.
Chegamos em casa e estacionei na garagem. Entrei pela porta principal e meu pai estava sentado no sofá mexendo no celular.
Falei olhando pra ele: O que está fazendo aqui essa hora pai?
Ele disse ainda olhando para a tela do celular: Estava te esperando. Iremos almoçar fora e irei te levar até um lugar, quero conversar com você e depois iremos para o estúdio.
Falei: Conversar sobre o que?
Ele disse: Quero te dizer umas coisas sobre o seu namorado.
Arqueei uma das sobrancelhas e disse: Sobre o Justin? O que?
Ele disse: Quer ir agora?
Concordei e disse: Claro! Você me deixou curiosa.
Ele levantou-se e disse: Então vamos. Você aproveita e passa a tarde no estúdio comigo.
Fui até o quarto e deixei minha bolsa, peguei meus óculos de sol e deixei o celular no bolso. Retoquei o gloss e abri a porta que dava para a varanda do meu quarto. Rapidamente saí correndo até a garagem e entrei no carro com o meu pai. O que será que ele quer me dizer sobre o Justin?
Falei ao colocar o cinto: O que o senhor quer me dizer sobre o Justin pai? É um daqueles motivos pelo qual você não gosta dele?
Ele deu os ombros e disse: Não diria que é o motivo principal, mas pode ser considerado assim também.
Detesto quando ele faz esse mistério para me dizer algo.

                                      Continuo com 14 comentários 

Eai gente. Tudo bem com vocês? Bom, esse cap ficou muito pequeno porque estou em semana de provas e é isso ai. Espero que tenham gostado mesmo tendo ficado super bleh, o próximo será mais legal. E essa história de jelena volta, separa, volta, separa já me irritou. Deixe que voltem e sejam felizes, ou que não voltem e continuem nessa, nem ligo mais tbm. Ele estando feliz...Bom, eu não sei se vocês sabem, mas eu sou vocalista de uma banda e me apresentei ontem, cantei uns rocks aí(eca) e tal. Quem quiser ver (aqui), mas o som não está lá aquela coisa.
O blog chegou aos 300 mil de views awwwwwwwwww. 
Tenham uma boa noite, beijos.